domingo, 18 de maio de 2008

Autismo

O ironico eh conhecer alguem do teu pais quando voce esta numa ilha exatamente no lado oposto do globo. Mas foi assim que conheci um autista de perto, pela primeira vez.
Fiquei apreensivo no comeco. Nunca sabemos como reagir, como responder, como interagir com uma pessoa com deficiencia. Besteira, a verdade eh que falamos com autistas disfarcados de 'normais' durante o dia inteiro e nao nos damos conta.
Mas fiquei tenso mesmo assim. Ateh que aconteceu o primeiro dialogo
- Voce eh a cara do Rodrigo Arroz, do flamengo. Conhece ele?
O que mais me chamou a atencao foi a naturalidade e a perfeicao da diccao(leia dicsao) do rapaz, e a voz ingenua, quase infantil. Desinibida mesmo. Respondi que nao, nao conhecia o jogador.
- Nao eh flamenguista? - Mais uma vez disse que nao, torcia pro Gremio. Ele parou, me olhou denovo, e respondeu, serio:
- Um dia o Maradona vai lhe dar uma camiseta autografada do Gremio.

Confesso que ri, e porque nao rir? Mas nao corrigi o guri, coisa que devia
ter feito, como aprendi mais tarde, Quando ele me falou sobre seu encontro (verdadeiro) com Beto Carreiro. Eu sabia que Beto Carreiro ja tinha morrido, e ele se referia ao milionario no presente. Ai alguem ali mencionou que Carreiro tinha morrido. A principio ele negou, mas depois aceitou, e a tristeza nos olhos dele era clara.
O autista tem uma 'falsa' visao do futuro das pessoas. Aparentemente eles apenas associam as pessoas com figuras que conhecem, e relacionam suas vidas, como quando ele me falou que eu ia ser um homem muito rico. E eu perguntei, mas vou ser feliz tambem, certo? Ele ficou quieto. Admito que estremeci.
Mas o que impressiona de fato eh a memoria. Ele lembra, sem hesitar, os criadores e atores dos desenhos e seriados favoritos, e as personalidades que mais aprecia, como Silvio Santos, e por ai vai. Lembra as datas de criacao de desenhos como Jaspion, Ultraman, lembra de todos Power Rangers de quase todas temporadas, lembra dos atores e desenhista, e me disse que o criador do aclamado Pica-Pau era australiano. A principio eu nao dei credito as informacoes dele, mas depois fui vendo que ele nao mentia. Se ele nao sabe mais nada sobre tal assunto, ele pula para outro, com mais informacoes triviais.
No fim eu conversava (ou melhor, ouvia) perfeitamente bem tudo que ele tinha para dizer. E nao era pouco. Ate que eu falei para ele que havia sim, conhecido um artista famoso (fixacao dele) na vida real, o Fabio Assuncao, no aeroporto de guarulhos. Ao ouvir o nome do ator global, ele fechou a cara.
- Nao gosto da emissora Globo. Sao todos mentirosos.


Me deu um arrepio. Talvez nos sejamos os verdadeiros deficientes.

3 comentários:

CodeFroes disse...

Cara, Cara...
Eu nunca falei com um autista de verdade, mas vou mais ou menos isso que passou pela minha cabeça quando li alguns trechos do Alienista (foi naquele livro tosco "O mistério da Casa Verde", mas valeu a pena. =)

Nós somos os deficientes, certo.

CodeFroes disse...

foi*

* em vez de 'vou' 3ª linha..
Dislexia, malz

Arthur Testa disse...

cara eh muito afude, eles sao absurdamente inteligentes. eles nao tem inibicao de parar de falar e tal, por isso sao classificados 'retardados' aehuahe

se eh assim la no stella ta cheio de autista UAHEUAHEUH